Crônicas, lifestyle, armário-cápsula, nerdices e vida na Bélgica.

Estilo, Filmes

Vestidos do Oscar, de 1951 a 1961

Mais vestidos do Oscar! Agora da década de 50, período onde muitas atrizes não participaram da cerimônia para receber a estatueta.

1951 – Judy Holliday, pela atuação em Born Yesterday (Nascida ontem)

A atriz optou por não participar da cerimônia de entrega do Oscar.

1952 – Vivien Leigh, pela atuação em A Streetcar Named Desire (Uma Rua Chamada Pecado)

A atriz optou por não participar da cerimônia de entrega do Oscar.

1953 – Shirley Booth, pela atuação em Come Back, Little Sheba (A cruz da minha vida)

1953-Shirley-Booth

O vestido escolhido pela atriz é de autor desconhecido. Com modelagem um tanto romântica, contava com gola redonda e fechada até o pescoço, mangas compridas e saia rodada. Era feito de tecido com micro estampas e para finalizar o look, Shirley usou luvas. A parte superior é levemente transparente e em algumas fotos é possível ver um top branco.

Curiosidade: a norte-americana Shirley Booth fez apenas 5 filmes em sua carreira de mais de 50 anos, mas atuou muito na Broadway e na TV. Foi a primeira atriz a receber o Oscar e o Tony representando a mesma personagem.

1954 – Audrey Hepburn, pela atuação em Roman Holiday (A princesa e o plebeu)

1954-Audrey-Hepburn-GivenchyO grifado vestido escolhido por Audrey para a premiação de 54 é o favorito de muitas pessoas. A criação de Givenchy de comprimento midi era coberto de fina renda, na cor marfim, além de acabamento perfeito. Uma peça de luxo, desenhada conforme o estio da época, mas que bem poderia ser atemporal.

Curiosidade: referência mundial nos quesitos beleza e elegância, a atriz nascida na Bélgica era descendente de nobres (sua mãe era baronesa). Sua família toda sofreu com a II Guerra Mundial, vivendo por muito tempo em condições precárias. Em agradecimento à ajuda que recebeu da instituição que os ajudou no fim da Guerra (que veio a se tornar a UNICEF) Audrey trabalhou em causas humanitárias dos anos 80 até a sua morte, em 1993.

1955 – Grace Kelly, pela atuação em The Country Girl (Amar é sofrer)

1955-Grace-Kelly-Edith-Head

O modelo em cetim verde água usado por Grace na cerimônia do Oscar de 1955 foi criado pela estilista Edith Head. O icônico vestido de alças, com drapeado na parte frontal e amarração na parte traseira foi o mais caro usado na cerimônia até então. Destaque para as luxosas luvas brancas.

Curiosidade: Edith Head foi uma das mais premiadas estilistas da história da academia, tendo recebido 8 Oscars e 35 indicações na categoria de melhor figurino. O filme de animação Os Incríveis tem uma personagem criada em homenagem a esta figura importante do cinema americano.

1956 – Anna Magnani, pela atuação em The Rose Tattoo (A rosa tatuada)

A atriz optou por não participar da cerimônia de entrega do Oscar.

1957 – Ingrid Bergman, pela atuação em Anastasia (Anastácia, a Princesa esquecida)

A atriz optou por não participar da cerimônia de entrega do Oscar.

1958 – Joanne Woodward, pela atuação em The Three Faces of Eve (As 3 Máscaras de Eva)

1958-Joanne-Woodward-Criação Própria

Segundo consta, o vestido foi criado pela própria Joanne. O modelo tomara que caia em cetim verde escuro tinha saia ampla e bordados no mesmo tom do tecido. O look foi finalizado com luvas brancas.

Curiosidade: Joanne é uma atriz americana muito premiada e também parte de um dos casamentos mais duradouros de Hollywood, com o ator Paul Newman

1959 – Susan Hayward, pela atuação em I Want to Live! (Quero viver!)

1959-Susan Hayward

O vestido de autor desconhecido escolhido pela atriz tinha uma proposta bem parecida do usado pela sua antecessora. Estruturado em cetim, com saia armada e alças finas, contava também com flores bordados na mesma cor. O modelo é de autoria desconhecida. Novamente, como adereço, as luvas brancas.

Curiosidade: o papel que rendeu o Oscar de melhor atriz à americana Susan Hayward é bem dramático. No filme, ela deu vida ã uma garçonete acusada de homicídio que após condenada, foi executada em uma câmara de gás.

1960 – Simone Signoret, pela atuação em Room at the Top (Almas em Leilão)

1960-Simone-Signoret

Este modelo, um tanto quanto diferente dos que vimos até então é um dos meus favoritos. O modelo preto com mangas estilo princesa, todo revestido de tule com aplicações, era delicado e feminino. O modelo de autor desconhecido recebeu como complementos jóias delicadas. Felizmente desta vez as luvas brancas ficaram em casa.

Curiosidade: a atriz francesa, junto com seu marido Yves Montand, foi militante do Partido Comunista Francês até a década de 80, pouco antes de sua morte.

1961 – Elizabeth Taylor, pela atuação em Butterfield 8, (Disque Butterfield 8)

1961-Elizabeth Taylor-Cristhian-Dior

 

Elizabeth Taylor recebeu seu Oscar de melhor atriz em grande estilo. Cruzou o tapete vermelho com uma criação de Christian Dior inesquecível, para muitos fãs do cinema e da moda. O modelo com parte superior sem mangas e levemente transparente, na cor amarela, fazia contraste com a saia ampla e armada, em branco com flores douradas. Para arrematar, uma faixa preta com uma flor vermelha na cintura, e é claro, as temidas luvas brancas.

Curiosidade: a atriz, conhecida por sua beleza contagiante e seus raros olhos cor de violeta, também era muito vaidosa. Tinha muitas jóias, adorava seu brilho intenso, além de colecionar bolsas, sapatos e preferir estar sempre maquiada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.