Cronista da vida, das coisas e do mundo. Cultura, moda e arte.

Geral

Sem nome

“E é na escuridão do quarto

No desejo infinito de querer o teu abraço, a tua mão, a tua respiração ao menos

E não poder

Que me sinto a pessoa mais solitária desse mundo.

Mundo dos outros, pois custa-me crer que este seja o meu\”

Janina Stasiak, 05/04/2007

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.