Cronista da vida, das coisas e do mundo. Cultura, moda e arte.

Geral

Recomeços

Finais doem, mas recomeços curam, diz o poeta anônimo.

O antigo apartamento.

E aí que o confinamento por conta da pandemia gerou diversos ex-casais e pensando nisso, eu cheguei a palavra recomeços. Gosto dela, parte latente do meu otimismo incurável.

Pois com isso lembro que hoje é aquele dia de postar foto velha no Instagram e passeando pela minha galeria, encontro algumas que gosto muito, tiradas ainda no antigo apartamento. Sinto saudades dele? Não, pois aprecio mudanças.

Fins de relacionamento podem trazer sofrimento, mas são oportunidades para recomeços. Uma casa nova, um outro emprego, um curso que escolhemos, uma cidade, um país diferente – são apenas alguns exemplos das milhares de vezes em que precisamos zerar algo na nossa vida, e começar de novo.

Entendo quem se assusta com a necessidade de recomeçar, mas eu sou otimista, lembra? E com a experiência de quem já recomeçou incontáveis vezes, venho neste dia cinza renovar suas esperanças. A vida pode estar uma merda hoje – para quase o mundo todo, vamos ser realistas – mas não devemos deixar passar as oportunidades que as crises nos oferecem.

A nova casa!

E por isso, me proponho neste momento a recomeçar mesmo no velho. Para me reconectar com aquela que inspira-se em pequenas coisas, para escrever um poema ou uma crônica como esta. E você, qual será o seu recomeço com essa crise atual?

— — —

Aqui um exemplo de um dos nossos mais importantes recomeços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.