Cronista da vida, das coisas e do mundo. Cultura, moda e arte.

Geral

Quando percebi que não era mais criança

Percebi que havia crescido quando não encontrei mais uma parte importante de mim. Eu havia deixado na infância algo que me era fundamental, e que me fazia sonhar infinitamente.

Naquele tempo eu viajava por caminhos estranhos, como se os conhecesse. E sorria sozinha, feliz por não ter que dividir meu pequeno universo com ninguém. Achava que nada poderia me tirar esta riqueza.

E a minha riqueza de infância  era a capacidade de criar mundos que jamais existirão, passear por eles, mesmo que isso me custasse o sono de uma noite inteira. De olhos trincados eu via o dia nascer, e no meu universo imaginário todos os dias nasciam com sol.

Ao deparar-me com o mundo real no momento em que cresci, o universo que eu havia construído esvaiu-se como água, e vi meus sonhos tombados ao chão, uma a um.

De toda a riqueza que eu tinha quando criança, sobrou-me apenas isso que chamo de imaginação fértil.

Janina, 12/03/2007

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.