Cronista da vida, das coisas e do mundo. Lifestyle, um pouco de tudo.

Livros

Mitologia #8: Marte (Ares)

Seguindo com as bios de Deuses do Olimpo, hoje trago o perfil de Marte (Ares), Deus da guerra.

Ares para os gregos, Marte para os romanos é o deus olímpico da guerra. No entanto, ao contrário de Atena, ele representa apenas sua capacidade destrutiva e é a personificação da violência e brutalidade. Consequentemente, ele não era amado nem pelos deuses nem pelos homens. Isto é, com exceção de Afrodite, que lhe deu muitos filhos fora de seu casamento com Hefesto.

E bem por isso não existem muitos templos dedicados ao todo poderoso Deus da Guerra. Nas fotos abaixo, trago imagens das ruínas do Templo de Marte em Roma.

— — —

Mitologia #8: Marte (Ares)

Muito apropriadamente, o nome de Ares (Marte para os romanos) parece ter sido uma palavra antiga para batalha ou guerra. Na arte, Ares geralmente é representado usando um capacete, um escudo e uma espada ou uma lança. Ele dirige uma carruagem de quatro cavalos e é acompanhado por cães ou abutres. Às vezes, seus filhos Deimos e Phobos também são retratados ao lado dele.

Ao contrário de seu homólogo romano mais nobre, Marte, Ares era um deus impopular entre os gregos e nunca se desenvolveu além da imagem de um açougueiro divino em frenesi de batalha. Consequentemente, apenas alguns epítetos chegaram até nós. Sem surpresa, poucos deles são lisonjeiros: “a perdição dos mortais ”, “o matador de homens”, “o assaltante da cidade”, “o barulhento das armaduras”, “o armador”.

Família de Marte

Marte (Ares) era o filho mais velho de Júpiter (Zeus) e Juno (Hera) e, segundo aqueles que pensam que Hefesto (Vulcano) nasceu por partenogênese, seu único filho legítimo. De qualquer forma, ele certamente tinha duas irmãs: Eileithia, a deusa do parto, e Hebe, a deusa da eterna juventude.

Batalha com Diomedes

Como ele era o deus selvagem da guerra sem sentido, Marte era quase universalmente detestado. A certa altura, depois que foi ferido em batalha por Diomedes, até Júpiter o chama de “o mais odioso de todos os deuses”, comentando que se ele não fosse seu filho, certamente teria acabado no Tártaro com Cronos e os Titãs.

Na Guerra de Tróia

O episódio com Diomedes é apenas um dos muitos em que fica em segundo lugar ao participar de um conflito. Durante a Guerra de Tróia, Atena não precisa de mais do que uma pedra para derrubá-lo, após o que ela passa algum tempo zombando dele e se gabando de sua superioridade como guerreira.

Derrotas de Ares

Héracles derrota Ares não uma, mas duas vezes – primeiro durante a batalha de Pilos, e depois depois de matar seu filho Cycnus. Mas humilhação mesmo foi o que ele sofreu da parte de Otus e Ephialtes, pois os Aloadae uma vez conseguiram sequestrar Ares e aprisioná-lo em uma jarra de bronze por treze meses. Homero diz que se sua madrasta Eriboea não tivesse contado a Hermes sobre isso, teria sido o fim de Ares.

Marte e Vênus

Marte teve muitas mulheres, mas nenhum de seus casos foi tão famoso quanto o que teve com Vênus. Na época, a deusa da beleza era casada com o irmão de Marte, Vulcano, que foi informado por Hélio das transgressões de sua esposa. Vulcano então fez uma delicada rede de bronze, quase invisível, que colocou na cama onde lelesdeveriam estar. Quando eles finalmente se encontraram na ausência do deus do fogo, que invadiu o local na companhia dos outros deuses, para que testemunhassem o flagra. Os olímpicos riram por dias com os amantes aprisionados indefesos.

No entanto, parece que, neste caso, Marte riu por último, já que Vênus lhe deu pelo menos três filhos. Hesíodo lista apenas Deimos, Phobos e Harmonia. Autores posteriores incluem Adrestia, Erotes (Eros), Anteros, Pothos e Himeros.

Companheiros de guerra de Ares

Ares raramente era visto sozinho no campo de batalha. Ele é tipicamente acompanhado por uma multidão sedenta de sangue, vários associados infernais simbolizando o terror da guerra. Seus filhos Deimos (Pânico ou Pavor) e Phobos (Medo) estão quase sempre ao lado dele. O mesmo vale para a “camarada e irmã” de Ares, Eris (Strife) e Enyo (o Saqueador de Cidades e “irmão da guerra”). Às vezes, Kydoimos também aparece – a personificação da confusão e confusão da batalha. Mais assustadoramente, assim como os Keres, os espíritos femininos da morte de olhos sombrios, vestidos com capas vermelhas com sangue humano.

Ares e heróis gregos

Ares foi associado a muitos heróis belicosos da mitologia grega, como o já mencionado Cycnus ou Diomedes da Trácia, cujas éguas devoradoras de homens Hércules deveria capturar como seu oitavo trabalho. Provavelmente com sua filha Harmonia, Ares gerou toda uma raça de guerreiras que hoje conhecemos como as Amazonas. Otrera deu-lhe os quatro mais famosos: Hipólita, Antíope, Melanippe e Pentesileia.

Nos últimos tempos, o nome de Ares é usado por várias equipes esportivas como o time grego de futebol Aris Salonika. Abaixo, estátua de Marte na Villa Adriana em Tivoli na Itália.

— — —

Para conferir todos os posts sobre Mitologia do blog, acesse este link aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.