Cronista da vida, das coisas e do mundo. Cultura, moda e arte.

Geral

Melancolia

Melancolia - Imaginação Fértil

Imagem do filme Melancolia, de 2011, de Lars von Trier.

Até bem pouco tempo atrás, acreditava que ser melancólico era algo extremamente normal. Via 90% das pessoas que conheço passando por momentos de tristeza, cabisbaixos por estarem com algum problema e pensava que esta era a lógica do comportamento humano. Mas foi preciso chegar ao fundo do poço, passar por um período de esgotamento emocional e terapia, para descobrir que a vida pode ser bem mais colorida. Se quisermos, é claro.

A realidade de que a grande maioria das pessoas com que convivo são melancólicas me assusta. Diante de algum problema, de algum obstáculo, tendem a ficar tristes, chorosas, se lamuriando ou estressadas, ao invés de buscarem uma solução. Buscam refúgios em doenças, drogas lícitas ou não, e vão se acabando aos poucos, sem se dar conta. Problemas todos temos. O que muda de uma pessoa para outra, é a forma como enfrenta isso.

“Queria ser como os outros, e rir das desgraças da vida…ou fingir estar sempre bem…”, é uma música da Legião Urbana que me faz refletir bastante sobre a forma como vemos a vida quando estamos tristes. Com o tempo, aprendi que temos uma tendência muito grande a “ampliar” os nossos problemas. E a complicar coisas que podem ser muito simples.

Um exemplo: como você reage ao levar um fora? Até pouco tempo atrás ficava semanas mal… não podia ver a pessoa e ficava mal de novo… mas isso nunca me ajudou em nada. E depois de muitas cacetadas, o sofrimento foi diminuindo… Hoje consigo superar isso em no máximo duas semanas. Como? Deixo para pensar no assunto somente quando estou sozinha… tomo uma overdose de músicas e recordações da pessoa. Mas não descarrego em ninguém a minha dor de cotovelo. Aí passa… E parto para outra. Encher a cabeça e a vida com coisas legais para se fazer ajuda em muito. Como diria minha tia, “Mente vazia é oficina do diabo!”.

Descobri, depois de ajuda profissional que o que nos faz sermos pessoas mais “felizes”, é a forma como encaramos a vida. Que felicidade é uma questão de perspectiva. Temos uma tendência muito grande a ver somente o lado ruim das coisas, deixando de lado as coisas boas que nos acontecem, o aprendizado que os problemas podem nos trazer. Nos deixamos dominar muito facilmente por estados de melancolia.

É óbvio que não existe fórmula mágica para a felicidade. E que a melancolia sempre vai bater na nossa porta novamente. Aí é só sorrir para ela e dizer: “Tudo bem, mas hoje não estou a fim de ficar triste, volte em uma hora em que eu estiver sozinho(a).” Afinal, sempre vai ter algum amigo esperando você para se divertir naquele bar que você adora, e lá não tem espaço para ela. Quando você precisar dela, feche os olhos e pense em algo que te deixa triste. Tente se entender com ela, mas não deixe que ela tome conta de sua vida. Afinal, você é aquilo que faz de si mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.