Crônicas, lifestyle, armário-cápsula, nerdices e vida na Bélgica.

Geral

Curtas 6 e as lendas belgas

Lendas fazem parte do imaginário belga e falo mais sobre isso no nosso Curtas dessa semana.

Semana que começou com anda de calor e terminou conhecendo mais lendas belgas foi produtiva na média. Postei menos do que pretendia, mas sinto que fiz posts importantes, com novas dicas de brechó em Bruxelas, além de um alerta para usuários do Instagram que estão destruindo lugares apenas por uma boa foto.

Mas vamos as news Curtas, onde hoje também apresento duas das inúmeras lendas da Bélgica!

Curtas 6

  • Onda de calor

Bélgica foi um dos países afetados pela onda de calor – em francês, canicule – e apesar de todo o desespero na imprensa, não acho que foi tão absurda assim. A verdade é que o sofrimento é maior mais pelo fato de que a grande maioria das casas e lugares não tem ar condicionado.

Até porque europeus em geral amam ficar se tostando no sol (sem protetor, o que é pior!), o que torna esse frisson todo meio incoerente. Quando chegamos em Breda (Holanda) em plena onda de calor, às 14h, vimos dezenas de pessoas tomando sol na sacada dos apartamentos. Ou seja, o calor é terrível, mas eles não “fogem” do sol.

Bebida que descobri aqui e foi uma boa opção para enfrentar o calor.

— — —

  • Hit or shit?

Costumava postar aqui algumas tendências de moda questionando o que vocês acham, chamada de hit or shit. Vou trazer esse tipo de post de volta aqui neste espaço para bate-papo, a começar compartilhando um modelo de calçado que já foi moda. Victoria Beckham continua apresentando em suas coleções, e tenho um exemplar que sempre exito em usar.

O que acham, hit or shit? Deixem sua opinião nos comentários!

Open boot: hit or shit?

— — —

  • Lenda da Abadia de Orval

Esta é uma das primeiras lendas que conheci quando mudei para a Bélgica e este final de semana visitamos as ruínas da abadia pela primeira vez. Conta-se que o mosteiro foi fundado como um gesto de gratidão. A Condessa Mathilde, já viúva, estava brincando nas águas dessa fonte que nasce no vale que hoje abriga a abadia, quando perdeu seu anel de noivado na água.

Ela começou a rezar e pedir para ter seu anel de volta, e imediatamente uma truta apareceu na superfície da água, trazendo em sua boca o anel. Ao que Mathilde exclamou: “Realmente, este é um vale de ouro!”. Em agradecimento, decidiu fundar um mosteiro neste lugar abençoado.

A fonte abaixo é onde, supostamente, teria acontecido o fato e é desta fonte que a abadia usava a água para fazer a cerveja Orval, uma das favoritas dos belgas. O símbolo da cerveja que ajuda a manter o mosteiro é uma truta com um anel na boca.

Logo da cerveja Orval.

Ilustração antiga da lenda.

A fonte Matilde, na Abadia de Orval.

— — —

  • Lenda de Berthe de La Roche-en-Ardenne

Essa lenda é um pouco mais triste que a anterior. Conta-se que Berthe, filha do senhor de La Roche-en-Ardenne, não sabia quem escolher entre vários pretendentes para se casar. Dotada de excepcional beleza, ela é pressionada pelo pai que se sente velho, que decide então organizar um torneio para escolher seu futuro genro.

Muitos cavaleiros da região das Ardennes (sul da Bélgica, onde fica La Roche) viajam até lá para participar do torneio. Entre eles, Waleran, filho mais velho do conde de Montaigu e que já havia sido prometido em casamento a Marie de Salm. Ele enfrenta seus rivais até a última rodada do torneio, até a chegada de um cavaleiro negro que, apesar de seu pequeno tamanho e frágil aparência, facilmente o venceu.

O casamento é celebrado imediatamente. Na noite após o casamento, a noiva Berthe esfaqueada é encontrada morta no fosso do castelo de La Roche. Só mais tarde é que as pessoas entenderam que o cavaleiro negro não era outro senão Maria de Salm, que, louca de amargura, vendera sua alma ao diabo para poder cumprir sua punição. Desde então, o fantasma de Berthe La Roche vagueia desesperadamente pela fortaleza nas noites de ventos fortes.

Apesar da história trágica, a cidade é linda e pitoresca, certamente vale uma visita quando se está na região.

A fonte com a estátua de Berthe, no centro de La Roche.

Um pouco da lenda de Berthe, do outro lado da fonte.

— — —

  • Melhores panquecas que já fiz

Um assunto um pouco mais feliz para encerrar nossa conversa: vamos falar de comida! Como sabem, gosto de cozinhar e viajar a ponto de ter um blog sobre o assunto, o Receita de Viagem. E é incrível como às vezes, despretensiosamente (digo, sem a intenção de postar no blog), saem umas comidinhas delícias como estas panquecas que almoçamos ontem.

Cozinhar sem ter obrigação, mas por que se gosta, é com certeza um ato de amor que pratico muito.

— — —

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.