Cronista da vida, das coisas e do mundo. Cultura, moda e arte.

Livros

Cura pelos Clássicos de Ficção: Senhora, de José de Alencar

Uma crônica breve sobre o romance Senhora de José de Alencar.

Terceiro post crônica de livro da serie Cura pelos Clássicos de Ficção.

— — —

O livro Senhora de José de Alencar foi publicado pela primeira vez em 1875 e é considerado uma das obras-primas do romantismo brasileiro. É com frequência leitura obrigatória do vestibular e do ENEM, assim como nas disciplinas de Literatura Brasileira dos cursos de Letras de todo o Brasil.

Mas é um livro que agrada poucos. E não por ser uma leitura difícil – bem pelo contrário! – mas por ser, digamos, um tanto quanto fora de moda. E é justamente por este mesmo motivo que o trago para esta serie, ele é o que chamo de uma leitura essencial. Penso que foi exatamente por isso acabou se tornando um clássico.

Entenda meu posicionamento na review que segue abaixo (sem spoilers!) e boa leitura (se é que você nunca o leu).

Senhora, a crítica ao casamento disfarçado de romance

Claro que quando falamos de romance, neste caso, estamos classificando Senhora de José de Alencar de acordo com o gênero (e também período ao qual a obra pertence). Mas não deixa de ser curioso pensar que muitos consideram este livro “romântico”, mesmo sendo ele uma crítica ao casamento por interesse. Algo muito comum na época em que foi escrito.

Prova é, que o próprio livro é dividido em quatro partes, sendo que cada uma delas leva o nome de uma das fases de uma negociação. Preço, quitação, posse e resgate. Triste, porém algo muito comum em uma época em que as posses dos envolvidos eram altamente levados em conta antes que um casal fosse definitivamente para o altar.

Eu sei que o enredo vai além disso, tem suas reviravoltas, suas nuances bem ao estilo de um romance. Mas a prática dos casamentos arranjados por interesse $$$ eram bem comuns na época em que Alencar o escreveu, e ler sob a ótica de uma negociação torna este livro consideravelmente mais interessante. Vai por mim, com este argumento consegui fazer uma turma enorme de ensino médio ler e adorar este livro.

E não me diga que isso não existe mais, os termos contratuais evoluíram, palavras foram suprimidas, novos atos foram adicionados. Mas os casamentos por interesse estão aí, talvez velados, mas para todos os lados. Casamento por amor sincero é algo raro, e estamos todos cientes disso. Fica como dica para que você reveja seus relacionamentos (e não somente amoroso, vale de amizade e família também) após uma leitura crítica deste livro.

— — —

O livro Senhora de José de Alencar (assim como todas as obras do autor) já é de domínio público, e você pode encontrar gratuitamente pelo site Domínio Público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.