Cronista da vida, das coisas e do mundo. Lifestyle, um pouco de tudo.

Estilo

Como a Jaqueta de Couro se tornou um ícone fashion

Conheça a origem da jaqueta de couro, peça hoje básica no nosso guarda-roupa e que se tornou um ícone fashion.

A jaqueta de couro é uma peça atemporal há quase cem anos. Embora interpretações únicas deste tipo de casaco sejam frequentemente lançadas em várias coleções durante as semanas de moda, o modelo clássico nunca deixa de ser tendência, e por isso mesmo, nunca deixa de ser moda

A origem militar da jaqueta de couro é conhecida por todos, mas aqui neste post da serie sobre roupas básicas essenciais sempre gosto de explorar um pouco mais a origem detalhada de cada uma destas peças. E também para mostrar porque elas acabaram se tornando um item que todo mundo tem no guarda-roupa e que passou a ser considerado um ícone fashion.

Espero que apreciem e se quiserem conferir os demais posts da serie, segue a lista:

Origem da jaqueta de couro

O vestuário militar funcional foi identificado pelos historiadores da moda como uma área que teve uma forte influência nas tendências de roupas predominantes na sociedade durante décadas. E a jaqueta de couro não é exceção. 

Na Primeira Guerra Mundial a maioria dos aviões não tinha cabine fechada, então os pilotos tinham que usar roupas que os mantivessem aquecidos. O Exército dos EUA estabeleceu oficialmente o Conselho de Vestuário de Aviação em setembro de 1917 e começou a distribuir jaquetas de couro resistentes, com golas altas, zíper, abas corta-vento, punhos e cinturas ajustadas e algumas também eram forradas com pele.

E durante a Segunda Guerra Mundial, jaquetas de couro funcionais eram amplamente usadas por pilotos de diversas frentes. É verdade que esses casacos eram fabricados principalmente na cor marrom – principalmente como parte do uniforme da força aérea americana e britânica, e a silhueta em si – denominada bomber  era bem diferente da forma moderna com a qual estamos familiarizados. Os modelos utilizados pelos militares alemães eram um pouco diferentes (veja fotos abaixo).

Mas entre estas duas guerras, mais precisamente no ano de 1928, Irvin Schott fez história ao criar o primeiro design da jaqueta de motociclista, que ele nomeou Perfecto (em alusão a sua marca favorita de charutos). Este modelo de jaqueta de couro foi desenvolvida para que os motociclistas pudessem pilotar com segurança – e por isso, muitas vezes este tipo de casaco é chamado de biker jacket.

Quando a jaqueta Perfecto foi lançada era vendida a um custo de $ 5,50 (cerca de $ 82 hoje em dia). Foram originalmente comercializadas nas lojas da marca de motos Harley Davidson, o que significa que as duas marcas cresceram juntas e são parceiras até hoje na imaginação de todos. Abaixo, alguns registros da família Schott.

O grande impulsionador de todo este movimento foi o fato de que no período pós-guerra, a motocicleta se espalhou e ficou muito popular, principalmente nos países banhados pelo Atlântico. E foi devido à indústria da guerra que os agricultores tiveram que fornecer ao governo pele de cavalo para fazer roupas para uso militar. Muitas dessas peles foram curtidas para serem transformadas em jaquetas de couro para aviadores.

A Perfecto ainda passou a Segunda Guerra Mundial em relativo anonimato, sendo as aviator jacket muito mais populares. Leslie Irvin foi o primeiro a projetar e fabricar as jaquetas desse modelo, feitas com pele de ovelha. Em 1926 ele montou uma empresa de manufatura no Reino Unido e se tornou o principal fornecedor de jaquetas desse tipo para a Força Aérea Real durante a maior parte da Segunda Guerra Mundial.

No entanto, a demanda durante os primeiros anos da guerra foi tão grande que a empresa subcontratou empresas menores, o que explica as pequenas variações de design e cor que podem ser vistas na produção inicial das aviator jacket.

Características básicas de uma jaqueta de couro

Os primeiro modelos de jaqueta de couro militar eram funcionais e caracterizavam-se por possuir uma barra feita em malha flexível (assim, protegeria melhor o corpo do frio), bem como punhos do mesmo tecido/material.

Fechamento em alguns casos era feito por botões e contava com dois grandes bolsos na parte frontal. Muitas tinham forro em pele nas golas, também para proteger do frio. Mas alguns modelos mais próximos da Perfecto já eram usados por alguns grupos militares.

Já a Perfecto tem um corte específico:

  • fechamento cruzado feito com zíper deslocado, na frente, dobrando a espessura do couro para melhor proteção do tronco. O zíper foi revolucionário na época, pois havia sido inventado apenas 13 anos antes do lançamento da primeira Perfecto, que foi a primeira jaqueta a usar esse tipo de fechamento;
  • o modelo também conta com zíperes na parte inferior das mangas para ajustá-las e evitar a entrada de ar;
  • botões de pressão permitem que a gola seja dobrada para evitar que ela balance ao vento por conta da alta velocidade;
  • um cinto com fivela, feito com o mesmo couro da jaqueta, garante ajuste na cintura e que evita a entrada do frio;
  • possui geralmente quatro bolsos com zíper.

Originalmente a Perfecto era feita apenas de couro de cavalo. Hoje ainda existem modelos feitos com esse material, mas a maior parte da produção é feita em couro bovino. A empresa Schott desenvolveu várias modelos da sua jaqueta de couro, sendo os mais conhecidos o modelo 618 e o 613 – este último feito com estrelas de metal nos ombros.

A aviator jacket (jaqueta aviador) tem corpo geralmente feito de lã fervida, para fornecer calor e proteção; as mangas são geralmente feitas de couro com punhos e cós com faixas. Vários modelos são feitos inteiramente de pele de ovelha.

A chegada em Hollywood

Os heróis carismáticos vistos nos filmes muitas vezes se tornam objeto de inspiração para toda uma geração que, ao replicar as roupas dos personagens, tenta se identificar com o mundo romantizado e idealizado do cinema. A primeira vez que uma jaqueta de couro foi vista pelos espectadores em um filme de Hollywood foi em 1953, em The Wild One, quando a peça de roupa foi usada pelo lendário ator Marlon Brando, que interpretou um perigoso membro de gangue.

A jaqueta de couro tornou-se um símbolo de rebeldia, não só por causa de personagens de filmes de ficção interpretados por Marlon Brando ou Steve McQueen, mas também por causa de um dos atores mais proeminentes dos anos 50, James Dean. Seu carisma jovem que foi associado à noção de rebeldia no casaco já icônico, ressoou principalmente com o público mais jovem. Essa vestimenta chegou a ser proibida de ser usada nas escolas para isolar os alunos da romantização da cultura das gangues. O fato é que na vida real, Dean dificilmente era visto sem estar vestindo a sua Perfecto.

Atitude Rock and Roll

A segunda metade do século passado foi marcada pela estética das subculturas que marcaram cada década e foram guiadas por valores diferentes. A cultura rock n’roll dos anos 70 e 80, baseada em ideias ousadas não-conformistas, tornou-se um fenômeno melhor ilustrado pela jaqueta de couro

Artistas como Ramones, Sex Pistols, Guns n’ Roses, Billy Idol, David Bowie e Depeche Mod utilizaram a peça como símbolo de revolta, que teve impacto entre as gerações mais jovens que buscavam liberdade de expressão e individualidade. A jaqueta de couro também foi usada por influentes cantoras de pop e rock, como Patti Smith, Joan Jett, Madonna, Tina Turner, Cher e Debbie Harry.

Aqui também o cinema fez um papel importante na popularização da jaqueta de couro modelo Perfecto, com aparição lendária em filmes como Greese (1978) e Top Gun (1986).

Protagonista da moda nos anos 90 e 2000

A jaqueta de couro entrou no mundo da moda com muita força mais precisamente em 1991, quando o fotógrafo Peter Lindbergh produziu uma serie de fotos para a revista Vogue, mostrando as grandes modelos da época – Cindy Crawford, Helena Christensen, Linda Evangelista, Cláudia Schiffer e Naomi Campbell usando uma Perfecto.

Além disso, as maiores estrelas de Hollywood e ícones da moda dessas duas décadas fizeram com que, ao usar esta peça, ela se torna-se uma das maiores e mais definitivas tendências de moda de todos os tempos.

E nesse período ela dividiu o protagonismo com outra peça (hoje muito na moda): o blazer de couro. Todas as musas inspiradoras de estilo da época (Drew Barrymore, Winona Ryder, Kate Moss…) usavam estas jaquetas em looks de street style deforma casual e algumas vezes até, para eventos cheios de holofotes. É esta década que pode ser descrita como um ponto de virada quando a jaqueta de couro se tornou objeto de tendência de massa e um elemento importante da cultura pop.

Interpretações modernas da velha e boa jaqueta de couro

O design da jaqueta de couro – especialmente o modelo Perfecto – introduzido em 1928, não perdeu sua relevância até hoje. O desenvolvimento de tecidos sustentáveis e materiais variados fez com que esse nicho se desenvolvesse muito e popularizando não somente o modelo, mas também como outras peças feitas com esse tipo de material, mas muito mais pelo efeito visual do que para proteger o corpo do frio ou possíveis acidentes de motocicleta.

Além disso, casas de moda como BalmainRick OwensSaint LaurentVetements, e The Row brincaram com a silhueta de uma jaqueta de couro clássica ao mesmo tempo que incorporaram suas próprias qualidades distintivas: cortes assimétricos, ombros fortes, e outros detalhes. Abaixo, alguns detalhes da minha jaqueta Helmut Lang com design bem diferente da clássica Perfecto, mas que lembra o modelo icônico por conta do zíper deslocado/atravessado e dos zípers no punho.

A moda está em constante evolução, então assistir a novas interpretações de uma peça icônica como esta pode ser bastante atraente. Ainda assim, parece que mesmo as modelagens apresentadas pelas casas de moda mais prestigiadas não obscurecem os traços originais da clássica jaqueta de couro preta

— — —

Fotos: Pintrest e arquivo pessoal

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.