Cronista da vida, das coisas e do mundo. Cultura, moda e arte.

Geral

Cidade morna

Aqui, entre as quatro paredes que me rodeiam, a cidade é uma estátua. Nenhum movimento além dos meus dedos sobre o teclado, nada se move ante a imensa janela que faz parede da sala. Ao fundo o Guaíba é um espelho amarelado. Nem calor demais, nem vento nem frio, a cidade faz vezes de morna.

Boa tarde! Janina Stasiak, 20/12/2007, às 15h31

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.