Cronista da vida, das coisas e do mundo. Lifestyle, um pouco de tudo.

Estilo

Calça preta: um clássico incontestável

Sobre como a calça preta se tornou uma peça de roupa clássica e incontestável.

Se você não tem uma calça preta no seu guarda-roupa, está na hora de rever os seus básicos. Este foi o primeiro pensamento que tive quando comecei a analisar minhas peças básicas, e a gênese dessa serie de posts sobre Roupas Básicas Essenciais.

Claro que esse essencial aí é subjetivo e pode muito bem não servir para você. Mas aqui venho mais como função de enciclopédia, para entendermos de onde ela surgiu e como pode fazer a diferença no nosso guarda-roupa. Espero que lhe seja útil e inspirador!

Como surgiu a calça

A calça, como peça de vestuário em si é conhecida desde a antiguidade, porém passou a ser mais usada como peça masculina no século 19. Até então, usavam-se calças curtas (uma espécie de calção). E o uso de uma roupa que vista as pernas de forma separada para proteger do frio e facilitar os movimentos já foi identificado em diversas culturas e períodos.

Confira alguns dos elementos mais interessantes da história da calça:

  • existem evidências de que no período Paleolítico Superior já se usavam calças na região onde hoje fica a Sibéria;
  • esculturas rupestres do século 6 a.C. encontradas em Persépolis (Irã) já indicavam o uso desse tipo de vestimenta;
  • embora os gregos antigos tivessem até palavras para as calças usadas pelos povos orientais, não as usavam pois achavam ridículas. No entanto, existem indícios de que as amazonas usavam calças em seus treinamentos e combates (ver imagem abaixo onde a cerâmica pintada do final de 400 a.C. as retratava usando calças);
  • a Roma republicana via as calças usadas pelos cretenses como um símbolo dos bárbaros. À medida que o Império Romano se expandiu para além da bacia do Mediterrâneo, o calor fornecido pela peça de roupa os levou à sua adoção;
  • dois tipos de calças passaram então a ser amplamente utilizados em Roma: a Feminalia, que se ajustava confortavelmente e se estendia até o joelho ou até o meio da panturrilha, e a Braccae, uma calça larga que era fechada nos tornozelos;
  • estes dois modelos de calças foram adotados originalmente pelos celtas da Europa. Elas começaram a ser usadas como vestimentas militares, espalhando-se para vestimentas civis mais tarde;
  • calças de vários modelos foram usadas durante a Idade Média na Europa, especialmente por homens. Calças largas eram usadas no período Bizantino, sob longas túnicas, e eram usadas por muitas tribos tribos germânicas que migraram para o Império Romano Ocidental no início da Idade Média;
  • por volta do século 8, há evidências do uso de duas camadas de calças na Europa, especialmente entre os homens da classe alta;
  • os marinheiros desempenharam um papel na divulgação mundial das calças como moda. Nos séculos 17 e 18, eles usavam calças largas conhecidas como galligaskins. Os marinheiros também foram os pioneiros no uso de calça jeans que se tornaram mais populares no final do século 19 no oeste americano. 

Quando a calça passou a fazer parte do guarda-roupa das mulheres

Apesar da calça fazer parte do vestuário feminino há tanto tempo quanto no masculino, muito recentemente o uso das mesmas foi motivo de escândalo. Um exemplo é o fato de que na metade do século 19, jovens mulheres escandalizaram a sociedade vitoriana usando calças para trabalhar nas minas de carvão. Elas usavam saias por cima das calças e as enrolavam até a cintura para facilitar seus movimentos.

A palavra coreana para calças, baji aparece pela primeira vez na história registrada por volta da virada do século 15, mas calças podem ter sido usadas pela sociedade coreana já antes desse período. Mas sabe-se que já nessa época as calças eram usadas por ambos os sexos na Coréia. 

Na sociedade ocidental, foi a cultura oriental que inspirou o designer francês Paul Poiret a ser um dos primeiros a desenhar calças femininas. Em 1913, Poiret criou calças largas e as chamou de “calças de harém”, que eram baseadas nos trajes do popular balé Sheherazade. Escrito por Nikolai Rimsky-Korsakov em 1888, era inspirado nas lendas do Oriente Médio chamadas 1001 Arabian Nights.

Certamente uma das principais contribuições de Coco Chanel para o mundo da moda foi a adaptação das calças de marinheiros para uso das mulheres. A estilista francesa gostava de andar a cavalo e achava que as saias atrapalhavam seus passeios. Assim, ela teve a ideia de usar calças.

A calça marinheiro era bem larga e confortável, apropriada para a prática. Acredita-se que foi a partir daí que as mulheres passarão a também usar calças para ocasiões diversas, fato que, lá no início da década de 30, escandalizou a sociedade francesa.

No início do século 20, as pilotos aéreas e outras mulheres trabalhadoras usavam calças compridas. Fotografias frequentes de atrizes da década de 1930 – principalmente Marlene Dietrich e Audrey Hepburn – em calças ajudaram a torná-las aceitáveis ​​para as mulheres. Durante a Segunda Guerra Mundial, as mulheres empregadas em fábricas ou fazendo outros “trabalhos masculinos” no serviço de guerra usavam calças quando o trabalho exigia. 

Calça preta, um básico atemporal

Um dos momentos de definição de Yves Saint Laurent como designer foi em 1966, quando ele lançou seu icônico “le smoking” para mulheres. Até aquele ponto, era desaprovado que as mulheres usassem calças. Ele acabou por capturar o clima da época, em as mulheres lutavam para estabelecer sua influência e poder.

Foi dessa forma que o estilista francês abriu as portas do nosso guarda-roupa de forma definitiva para o traje que inclui blazer e calça preta, fazendo com que se tornasse um básico essencial. As mulheres já usavam ternos e calças antes de Saint Laurent, mas como Pierre Bergé disse em 2008: “Gabrielle Chanel deu liberdade às mulheres. Yves Saint Laurent deu-lhes poder.”

Porém, a aceitação não foi imediata. A socialite americana Nan Kempner foi notoriamente rejeitada no restaurante Le Côte Basque em Nova York por usar seu smoking da YSL. O Le Smoking foi uma vestimenta de rebelião, de androginia e glamour, um desafio ao status quo da época.

“Eu queria que as mulheres tivessem o mesmo guarda-roupa básico que um homem”, disse o estilista ao The Observer em 1977. “Blazer, calças e terno. Eles são tão funcionais! Eu acreditava que as mulheres queriam isso e estava certo.” Entre as primeiras a adotar a peça estão Catherine Deneuve, Liza Minnelli, Lauren Bacall e Bianca Jagger (galeria abaixo).

Looks inspiradores com calça preta

Para se inspirar em algumas das celebridades mais elegantes (fotos dos anos 90, 2000 e de agora!) confira looks usando calça preta – seja social ou jeans. Para salvar já!

One thought on “Calça preta: um clássico incontestável

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.