Cronista da vida, das coisas e do mundo. Cultura, moda e arte.

Geral

…ela só queria desejar um bom dia. Não que algo mais a incomodasse, pois o dia tinha nascido lindamente com sol, e havia muito o que comemorar por aqueles dias. O dia seguinte seria um dia importante em suas vidas, uma sexta-feira muito especial.

Mas sempre que ela ligava ficava com a impressão de que não deveria ter feito aquilo. Sempre ouvia do outro lado algo que a desagradava e a deixava triste. Talvez por isso detestasse tanto o telefone, talvez por não gostar de falar naquele aparelho sua voz soasse falsa e provavelmente as pessoas pressentissem isso.

Passou o dia com a voz embargada, um nó na garganta querendo desatar em choro, que ela jurou que não iria derramar nunca mais. Tinha os ombros duros de tão tensa que estava, querendo descobrir a todo custo uma forma de disfaçar aquela angústia inesperada.

Ela toda doía, com a plena certeza de que estava sendo injusta com ele. Ninguém consegue ser feliz o tempo inteiro.

E ela só queria desejar a ele um bom dia.

Janina Stasiak – Porto Alegre, 10h36

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.