Crônicas, lifestyle, armário-cápsula, nerdices e vida na Bélgica.

Livros

Presidiários leem mais do que a média do país

O presos do Distrito Federal leem mais de dois livros por mês. Curioso este levantamento, feito em um país em que o índice de leitura espontânea não chega a esse mesmo número por ano. Os dados foram revelados após pesquisa realizada em presídio da Capital Federal, onde revelou-se que 70% dos internos tem hábito de leitura.

Interessante também é o fato de que os internos leem mesmo sem incentivo. A falta de acesso aos livros é um empecilho e os que não tem este hábito culpam a falta de orientação e estrutura psicológica. As leituras mais procuradas são as de livros de autoajuda e religiosos, seguidos de livros espíritas e romances.

Se desta forma leem, imagina com incentivo e uma biblioteca descente? Seria um passo importante para a ressocialização.

Fonte: a reportagem original pode ser lida aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.